O EVENTO

O envelhecimento acelerado da população é uma realidade no Brasil inteiro. Em São Paulo 15% das pessoas são idosas. E em 2050 esse índice deve chegar a 30%, segundo a Fundação Seade e de acordo com o estudo ‘Retrato da Pessoa Idosa na Cidade de São Paulo’ realizado pela Coordenação de Políticas para a Pessoa Idosa, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

Esse quadro suscita uma série de questões: como podemos ajudar pessoas a permanecerem independentes e ativas à medida que envelhecem? Como melhorar a rede de apoio? Como garantir promoção de saúde, segurança e educação? Como prevenir quedas e consequentes fraturas responsáveis por alto índice de morbidade e mortalidade entre pessoas acima de 60 anos? Como estimular o convívio social?

Para identificar soluções que auxiliem a promover vida digna ao envelhecer, o Congresso Envelhecimento Ativo escolheu como temática o levantamento de desafios e boas práticas a partir do que acontece nos bairros da cidade, o que efetivamente altera a percepção e a vida das pessoas.

O tema do V Congresso Envelhecimento Ativo é “São Paulo, seus bairros são amigos do idoso?"

"‘São Paulo: seus bairros são amigos dos idosos?’ Esse é o tema do Congresso desse ano, justamente para refletirmos sobre as dificuldades enfrentadas pelas pessoas e como podemos ajudar a adequar políticas públicas eficazes", enfatiza o vereador Gilberto Natalini (PV), proponente do Congresso.

Público-Alvo:

Idosos e familiares.

Educadores, professores

pesquisadores e estudantes.

Empresários, consultores,

executivos e profissionais das áreas de gerontologia

e geriatria, das pequenas,

médias e grandes empresas.

Funcionários do executivo, legislativo e judiciário atuando em São Paulo.

Representantes de entidades, associações, iniciativa privada, profissionais, ONGs e lideranças comunitárias.

Jornalistas e mídia em geral.

©2020 por Congresso Envelhecimento Ativo.